Passagens por aqui ...

sábado, 28 de abril de 2007

Pensando em Anne Frank


Relendo hoje alguns textos escritos há algum tempo, me deparei com um texto que escrevi há dois anos e cujo tema central era Anne Frank. Escrevi sobre ela e sua maneira singular de ver o mundo e as profundas marcas que esse livro deixou em mim. Eu li o diário na adolescência, há alguns anos e essa obra se tornou uma referência na minha vida. À despeito da minha profunda admiração pelo povo judeu e pelas minhas convicções pacifistas, a figura humana de Anne me imprecionou. Anne faz qualquer pessoa querer viver mais e lutar pela vida, mesmo que se tenha tão poucas esperanças. E aqui vão minhas impressões ...



“Quem tem coragem e fé nunca perecerá na miséria”. Assim escreveu Anne Frank alguns meses antes de ser capturada e enviada ao campo de concentração de Bergen-Belsen. Essa mensagem de fé esperança deixada pela garota judia que por dois anos se escondeu com sua família em um sótão em Amsterdã por conta da perseguição nazista aos judeus, me faz sempre refletir sofre a vida e o seu real sentido. Por maior que fosse seu sofrimento físico e psicológico Anne se manteve firme até o último momento. Sua vida foi, acima de tudo, um exemplo de que não importa o quão grande possam ser os nossos problemas, há sempre uma outra maneira de agirmos face a eles.
Li O diário de Anne Frank inúmeras vezes e a cada nova leitura descubro mais coisas sobre essa incrível garota. Anne viveu há mais de 60 anos, mas seu drama permanece atual e universal. Quantas Annes não existem em Cabul, Bagdá, Grozny ou Sarajevo? Quantas pessoas que, mesmo não passando pelo que Anne passou não se identificam com ela e sua maneira extremamente humana de se portar perante a vida?
A primeira vez que li o diário foi há dez anos e desde então a história de Anne Frank vem influenciando muito o meu modo de encarar a vida. Eu me pego às vezes pensando como Anne agiria diante desta ou daquela situação. Quando tenho problemas reais, ou como na maioria das vezes, luto contra meus problemas imaginários, eu penso em Anne Frank. Como se entregar diante de tal situação que nada representa comparado ao que Anne passou? Uma garota que teve sua adolescência roubada em função de sua origem e religião e passou dois anos trancada em um sótão, sendo posteriormente morta em um campo de concentração? Anne vem influenciando há décadas milhões de pessoas em todo o mundo, iluminando a todos com a sua força vital.
O diário de Anne Frank é merecidamente reconhecido como o registro mais importante da Segunda Guerra Mundial. Entre os vários diários recolhidos entre os sobreviventes do Holocausto, o de Anne se destaca pela realidade com que os fatos são narrados. É difícil não se imaginar no “Anexo Secreto”, como Anne chamava o sótão, diante da clareza com que cada pessoa ou situação é por ela retratada. Ë difícil não se identificar com essa pessoa fascinante, que, a despeito de ser uma adolescente judia perseguida, relatou seu drama de uma maneira universal. É difícil, por fim, passar imune às mensagens deixadas por Anne, dentre as quais se destaca aquela que a define muito bem, que mostra o porquê de sua força para viver diante das situações mais adversas: “Quem tem coragem e fé nunca perecerá na miséria”.



Shalom



By: Carlos Eduardo de Oliveira Ramalho

2 comentários:

henrique disse...

281259Olá primo, realmente seu texto é muito tocante. Faz-nos pensar em coisas realmente importantes como o respeito à vida e ao não preconceito ... muito chique seu blog ... bem "cult". Parabéns

Henrique

Luis Augusto disse...

Brilhante seu texto sobre Anne Frank... quem ler esse texto nunca mais será o mesmo, pois nos fará ver de modo diferente a vida, que o maior bem que temos no mundo!!! Carlos, parabens pelo texto.